De 21 a 25

Gente, uma semana de feriado no Rio! O que vai ser da gente na segunda-feira?

É preciso que a cidade volte a funcionar, pelo amor de Deus!


Anúncios

Ah!

Estou cansada desse povo que olha o Rio de Janeiro como objeto de estudo, que usa a lente da câmera como um tubo de ensaio.

Ai, Rio…

De volta à terrinha dos prazeres, depois de uma semana de mares por todos os lados, parando em portos deixando e embarcando pessoas. Passeando por aí, eis que a Borboleta Avoada, a Moça do Segundo Andar e suas respectivas famílias retornaram à cidade dos malucos-beleza, a cidade da belezura e da desorganização, a cidade do calor e das emoções intensas, ao Rio de Janeiro. A saudade só conseguiu constatar o óbvio que a beleza consegue causar em olhos atentos ou nem tão atentos assim: o Rio de Janeiro é lindo! A visão do mar é estupenda! Ver as montanhas, o Pão de Açúcar , para uma carioca apaixonada voltar para casa é sempre emocionante. Elas suspiram e sentem vontade de chorar com a beleza. Olham para frente e depois para a água  e exclamam: “O Rio de Janeiro continua lindo e a Baía de Guanabara continua suja.”

Rio sempre lindo de Janeiro

te adoro assim com és

linda, sensual,

rochas de curvas onde quero me atirar

me chateia a tua falta de educação

tua sujeira

e os maus tratos que recebes

mas quando te vejo assim

coloco-me pronta a te contemplar

olhar para você

é ter certeza que se conhece a beleza

(nossa, isso tá muito cafona!)

Copacabana

A conversa das duas moças ferve, fervem também os ânimos dos motoristas. Os pneus cantam no asfalto desafinados e o apito do guarda rege a sinfonia. O boy atrasado avança o sinal sobre os carros, a mãe segura a mão da filha, a bicicleta freia no pé da velhinha, camelôs disputam o metro quadrado com os pedestres. Olha o rapa! E a princesinha se esconde.